top of page

Instituto é lançado para preservar a memória e o legado de Edésio Passos

Em solenidade na noite de ontem (4) na Faculdade de Direito da Universidade Federal do Paraná (UFPR), com a presença de autoridades, militantes políticos, dirigentes dos movimentos sociais, professores, estudantes,  amigos e familiares do homenageado, foi lançado oficialmente o Instituto Edésio Passos, com a finalidade de preservar a memória e o legado desse advogado trabalhista paranaense, pioneiro e idealizador do conceito “defesa de trabalhadores”.

O presidente do Instituto Edésio Passos (IEP), advogado André Passos, o reitor da UFPR, Ricardo Marcelo Fonseca, a diretora do Setor de Ciências Jurídicas da Institutição, Vera Karam, a coordenadora do IEP, Raquel Sizanoski, o teólogo e escritor, Leonardo Boff, e o deputado constituinte, Nelton Friedrich, estes dois palestrantes da noite, dedicada ao tema Ética do Cuidado, compuseram a mesa de abertura dos trabalhos. O dia escolhido para lançar o IEP foi justamente o do aniversário de nascimento de Edésio Passos, 4 de abril.

foto3

De acordo com a coordenadora do IEP, o Instituto tem por propósito preservar e divulgar os documentos, textos e livros produzidos por Edésio Passos e difundir os princípios que nortearam sua atuação profissional e política. “Também visa fortalecer o Direito do Trabalho, a advocacia militante, enquanto instrumento de defesa  dos trabalhadores e a construção de um ideário social fundamentado na solidariedade, igualdade, equidade e justiça”, argumentou Raquel Sizanoski.

O IEP ainda vai atuar na promoção da memória sindical, dos movimentos sociais e do movimento dos trabalhadores e de ações que envolvem temas relevantes ao cotidiano dos trabalhadores, além de dar continuidade à vida e luta social de Edésio Passos, “mantendo viva sua identidade questionadora e sua alma invencível”, completou Sizanoski.

foto1

O presidente do Instituto, André Passos, filho de Edésio, coordenou a cerimônia de apresentação e homenagem aos integrantes e fundadores do Instituto, pessoas que conviveram e participaram da vida e do trabalho de Edésio. “Agradeço especialmente a UFPR por ter acolhido esse projeto do Instituto e pela parceria em transformar a primeira semana de abril de todos os anos, daqui para a frente,   numa grande referência na luta pela democracia, cidadania e liberdade”, disse André Passos.

Vera Karam destacou o papel histórico da Faculdade de Direito da UFPR nas lutas empreendidas durante períodos difíceis da República Brasileira, como espaço de liberdade e de resistência. Também, em nome da Universidade, pediu desculpas públicas aos perseguidos políticos e à Comissão da Verdade da UFPR e à Comissão da Verdade do Paraná.

foto2

O reitor da Instituição, em seu discurso de abertura da solenidade, falou do reconhecimento pessoal e do mito que representava a figura de Edésio Passos para a UFPR, um dos estudantes que embora militante incansável alcançou um dos maiores níveis de rendimento acadêmico da história da Faculdade de Direito da UFPR. “É uma alegria e uma honra para UFPR receber e sediar ao longo desta semana o evento de lançamento do Instituto Edésio Passos. Talvez não haja lugar mais adequado para isso”, disse o reitor. “E também destaco a satisfação pessoal por Edésio ter sido uma figura presente e atuante nas lutas nos corredores da Universidade e um parceiro que sempre estendeu uma mão solidária, amiga, uma mão que nos faz muita falta”, conclui Marcelo Fonseca.

foto5

Várias pessoas homenageadas, ao longo da Semana Edésio Passos, receberão a honraria do “Abraço Fraterno”, saudação e ao mesmo tempo princípio norteador das relações políticas, sociais e pessoais desse paraense, que se tornou um grande ícone da democracia, cidadania e da liberdade.

boff

Texto e fotos: Thea Tavares.

0 visualização0 comentário

Commenti


bottom of page